Atividades terapêuticas para exercitar o cérebro dos idosos

atividades terapêuticas para idosos

Com o avanço da idade, o cérebro vai perdendo naturalmente suas capacidades de armazenamento de informações e cognitiva. É por isso que doenças como Alzheimer e demência são mais comuns entre os idosos.

Curiosamente, existe uma maneira altamente eficaz de evitar tudo isso, é só investir em atividades terapêuticas para idosos. Aqui, falamos mais sobre elas, além de indicar atividades que podem ser realizadas para acabar com o sedentarismo cerebral.

 

Por que realizar atividades terapêuticas para o cérebro?

Tais atividades para idosos estimulam o cérebro, garantindo seu adequado funcionamento, sobretudo no que se refere à capacidade de aprendizado, atenção, concentração e memória.

Como resultado, o idoso apresenta uma melhor autonomia, conseguindo se manter mais ativo. Paralelamente, evita-se doenças neurodegenerativas, contribuindo para uma melhor qualidade de vida e envelhecimento saudável.

 

Quando começar as atividades terapêuticas

Existem estudos que comprovam que a partir dos 45 anos de idade já há um declínio da atividade cognitiva. Portanto, é interessante adotar as atividades de estímulo cerebral por volta dessa idade e intensificá-las com o passar dos anos.

 

Dicas de atividades terapêuticas para o cérebro

E quais seriam essas atividades terapêuticas para exercitar o cérebro, exatamente? Boa parte delas é associada à terapia, passatempos e jogos. Veja, a seguir, alguns exemplos:

 

Jogos de xadrez e dama

Ambos são jogos de estratégia, que são famosos por estimular o raciocínio, memória e cognição. Portanto, contribuem positivamente para exercitar o cérebro e ainda entreter o idoso.

 

Musicoterapia

A musicoterapia é uma técnica que ativa vários setores do cérebro, especialmente o da comunicação, aprendizado e expressão. Além disso, também pode despertar a memória.

 

Atividades de estímulo sensorial

Atividades recreativas para idosos, como sentir aromas, escutar determinada música, provar um alimento, ver fotos de locais específicos, tudo isso ajuda a estimular o sensorial e faz o cérebro “acordar”, estimulando a memória, principalmente.