Author Archive: Gregory Fisher

Como decorar suas unhas você mesmo

Preparação :

  • Se você tem um esmalte de unha antigo nas unhas – remova-o.
  • Esfregue as cutículas com loção amaciante e empurre-as suavemente.
  • Aplique o reforço das unhas.
  • Não se esqueça de selar a unha na ponta com a aplicação de cada camada de esmalte de unhas. Faça isso rastreando sua escova de esmalte sobre a borda de cada unha. Isso tornará sua manicure mais duradoura, porque esta técnica impede que a água entre as camadas do seu polonês e unhas.

Ação :

  • Aplique uma base clara. Aplique uma segunda camada de base colorida se desejar. Aguarde que ele seque completamente.
  • Deixe cair cinco pontos de esmalte de unha amarelo em um círculo no meio da sua unha e sobre eles cair outros cinco no esmalte de unha alaranjado. Enquanto o polimento ainda está molhado, use uma escova de decoração especial ou palito para puxar cada ponto para fora. Isso criará um padrão de flores. Trabalhe em cada unha separadamente, porque o polimento precisa ser molhado para ser flexível. Você pode usar cores diferentes para criar a flor que melhor expressará sua individualidade.
  • Aguarde até que seu desenho seque e aplique uma camada superior clara de polonês.
  • Se você quiser desenhar um padrão de pata, depois de aplicar a base (Etapa 1) use um pino ou uma escova fina para desenhar dois pontos maiores na unha. Acima de cada um deles, desenhar três pontos menores. Não se esqueça de terminar com uma camada clara de polonês para tornar sua criação mais duradoura.

E é assim que se faz unhas com desenhos! Quanto mais você treinar, mais expert se torna no assunto. Assim poderá desfrutar de unhas lindas e bem decoradas, sem ter que pagar caro em algum salão. Elas ficam lindas e se não conseguir, opte pelos declaques prontos.

Quando comprar o dólar – Porque o EUA emite dinheiro e não gera inflação?

Desde dezembro de 2008, a Reserva Federal dos Estados Unidos ( o Banco Central), decidiu implementar uma série de programas chamados de “flexibilização quantitativa” (do inglês Quantitative Easing ou QE), que em termos simples, consistiam em emissões enormes (pequena máquina) de notas e moedas que foram introduzidos ao mercado de duas maneiras: comprando títulos do tesouro do governo, com o qual financiaban o excesso de gasto público dos Estados Unidos e comprando ativos lastreados em hipotecas aos bancos, o que em boa conta significou introduzir dinheiro aos bancos em troca de papéis (ativos) que não valiam nada, pois continham as hipotecas impagas, que nasceram como conseqüência do colapso da bolha imobiliária que eclodiu em setembro de 2008. Na atualidade se encontram no QE3 e em uma fase chamada “tapering”, que consiste na redução do ritmo ao qual injetam dólares mensalmente. Este processo começou em dezembro de 2013: a injeção de dólares era de 85 mil milhões de dólares por mês e agora se encontra em 45 mil milhões.

A pergunta é a seguinte: Por que a emissão nos Estados Unidos e a diferença do resto de países, não gera inflação? Imagine que no Peru se emitiesse sem limite; o resultado óbvio é inflação. No entanto, isso não acontece nos Estados Unidos. Se você for fazer a análise do valor do dólar hoje perceberá que, apesar de ser a mais importante, sua alta circulação a faz com que também não valha muito.

Lembre-se que o dólar é uma moeda internacionalmente aceita para transações comerciais e financeiras. Essa é a chave. Nos Estados Unidos, quando emitido, qualquer “excesso” de dólares que, de outro modo, geraria inflação, “sai” do país e é aceito por cidadãos e habitantes de outros países. Então, como nem todos os dólares emitidos “ficam” nos Estados Unidos, não é gerado um problema interno de inflação. A partir de então, pode-se pensar que, por ter mais dólares no mundo pode ser uma “inflação em dólares a nível mundial e estaria certo.

Agora bem, por que se aceita o dólar fora dos Estados Unidos, se este tem problemas de dívida, dificuldades fiscais, etc., Não é uma economia saudável. Meu sentimento é de que “não há substituto”, isto é, não existe, de momento, outra moeda, que faça as vezes do dólar. O euro passa por uma fase crítica, com a crise europeia, enquanto que o yuan chinês não é conversível. Então se mantém o uso do dólar, apesar das dificuldades da economia norte-americana.

E essa situação lhe convém aos Estados Unidos? Sim e não. Sim, porque a sua moeda ainda em uso no mundo, pois apesar de tudo, os cidadãos continuam confiando nela. A moeda, em última instância, é uma questão de confiança. Não, porque o excesso de dólares que origina o dólar como moeda cada vez vale menos. As reduções na taxa de câmbio, em especial depois de 2008, quando começou a emissão descontrolada dos Estados Unidos da américa), entre as moedas nacionais e enfraqueceram o dólar. Lembre-se o leitor que, quando a taxa de câmbio baixa, são necessários menos soles para comprar um dólar por isso que o sol se aprecia, ou seja, vale mais. No Peru, a taxa de câmbio foi de 3,5 dólares por dólar em 2002 e, agora, gira em torno de 2.80 soles por dólar.

E isso lhe convém o Peru e outros países, com uma taxa de câmbio tem uma trajetória semelhante? Não necessariamente, pois uma taxa de câmbio mais baixo, desencoraja as exportações e incentiva as importações, gerando assim um problema na balança comercial. Daí que, na opinião de vários analistas de ter que subir a taxa de câmbio para frear importações, algo que poderia ocorrer por razões de mercado, se continua a desaceleração da china e da reserva federal continua com o “tapering”. Além disso, o BCR teria que deixar de vender dólares para isso. O apostam no aumento ou à redução?

Mimo – O vilão ou o mocinho da educação

O mimo é um item muito importante no desenvolvimento da criança e por esta razão tem que ser encarado com a devida seriedade. O mimo age diretamente no emocional da criança sendo estimulador ou inibidor de ações.

É muito prazeroso receber carinhos e mimos desde que estes não ultrapassem a linha do bom senso e da responsabilidade.

Há pais que encaram o mimar em excesso e o nunca dizer NÃO como formas de deixar claro o seu amor infinito pelo filho. Como já disse em outro artigo “Só dizemos “não” a quem amamos”, isto porque dizer NÃO dá trabalho, envolve justificativas, muitas vezes reações desagradáveis e até birras. Logo, é muito mais fácil, e não se corre o risco de desagradar o filho, deixá-lo fazer tudo o que quer. Ocorre que o resultado desse comportamento permissivo ao extremo virá quando ele for adulto e começar a ser “educado” pela vida.

Já dizia meu pai que “os pais educam pelo amor e a vida pela dor”. Está nas mãos dos pais qual a opção que irão escolher.

A criança muito mimada também pode se sentir tolhida quando a mãe faz tudo por ela como prova do seu grande amor. A criança não come sozinha, não se veste, não calça seu sapato, não pega um copo de água e assim por diante. Este tipo de mimo acaba por provocar uma insegurança incrível, porque a criança aprende é com a experimentação.
Quando o bebê está aprendendo a andar ele tem que cair para aprender a se levantar. Os pais que tentam proteger o filho para que não tenha nenhuma queda estão contribuindo para que esta criança se torne medrosa e receosa.

O meio termo ainda é a melhor medida.

A criança que se sente amada na medida certa se torna segura, se desenvolve cognitivamente, sente vontade de explorar, de aprender coisas novas, enfim se sente equilibrada.

Vamos mimar nossos filhos, porém com responsabilidade.

Emagrecer rápido, é possível?

No dia a dia tão corrido como vivemos hoje, ganhar tempo parece ser a melhor forma de aproveitamento. Mas será mesmo que isso é válido quando se trata de emagrecimento rápido?

Emagrecer já teve suas causas distorcidas pela sociedade, porém o emagrecimento acelerado tem se tornado uma preocupação maior ultimamente. Na busca pela forma do corpo perfeito muitas pessoas acabam se prejudicando por falta de informações sobre. Primeiramente é preciso deixar claro que emagrecer rápido é uma variável muito grande, pois depende unicamente de cada organismo, tornando cada dieta para emagrecer com efeitos diferenciados de pessoa para pessoa.

Emagrecer rápido sem acompanhamento também pode acarretar diversos problemas, o principal é o tal efeito sanfona que nem sempre é encarado como um problema mais sério de saúde do que estético.

O efeito sanfona se torna uma ameaça a partir do momento que emagrecer rápido e engordar novamente acabam sendo consecutivos, pois enfraquece muito o sistema imunológico e pode se agravar mais ainda para problemas como hipertensão, colesterol alto, alterações hormonais, cútis e até mesmo cardiovasculares.

Isso tudo porque quando você inicia uma dieta muito restrita seu corpo perde sais minerais e vitaminas essenciais para produção e renovação de células, que executam manutenção de todo o restante do organismo. Com isso, alguns órgãos acabam sendo mais prejudicados do que outros, onde se torna o agravante da situação.

Um exemplo é a tal mania de “fechar a boca”, pular refeições é um dos principais erros cometidos a quem deseja emagrecer, onde o organismo sofre com a imunidade baixa além de que está comprovado; quando se pula refeições você estimula completamente o resultado contrário. Isso mesmo, ficar horas sem comer acaba por atrasar o metabolismo natural e quando você volta a comer, mais o seu corpo absorve proteínas necessárias para futura reserva de energia e gordura, fazendo com que na verdade acabe engordando mais já que o seu corpo identifica a escassez de nutrientes.

O que não pode ser confundido também, principalmente nesta fase, são os suplementos e remédios que algumas pessoas ainda insistem em tomar sem receita. A maioria deles acaba por eliminar ainda mais proteínas de seu corpo e isso merece um grande alerta.

Em resumo, o correto e mais importante para um emagrecimento saudável é a procura de um especialista na área para auxiliar sua redução de medidas, sem que sua saúde se comprometa. O médico irá avaliar sua condição física, para indicar desde exercícios até suplementos confiáveis e de acordo com sua real necessidade.

A dieta perfeita se completa com o acompanhamento de um nutricionista, essencial para montar seu cardápio, adequando com suas atividades diárias. Esse acompanhamento ajuda também ao controle semanal, evitando que a pessoa acabe cometendo excessos prejudiciais não apenas a nível estético, mas também ao comprometimento com a saúde.

Busque um profissional, hoje em dia há preços acessíveis e confiáveis então não se deixe abater, procure já regular sua alimentação e evitar futuros problemas indesejáveis muito mais sérios que um belo corpo, cuide-se por inteiro.

CONTRA A ESCLEROSE MÚLTIPLA

O sofrimento dos pacientes portadores de esclerose múltipla, doença neurológica que se manifesta por deterioração progressiva das funções do corpo e incapacidade gradual de realizar as tarefas mais corriqueiras, pode estar começando a ser evitado.

Um anticorpo novo, chamado natalizumab, foi testado em 942 pacientes que sofrem de crises repetidas da doença.
O estudo, publicado recentemente na revista New England Journal of Medicine, demonstrou que a administração desse agente conseguiu reduzir em 42% a progressão da doença durante os dois anos em que a pesquisa foi realizada. O pesquisador C.H. Polman, orientador do trabalho, confirma que o grupo que recebeu o natalizumab apresentou também menor número de crises agudas, evitando assim a piora dos sintomas.

Esses resultados representam uma chance real de manejo mais eficaz de uma doença devastadora. Futuros estudos deverão ser realizados para confirmar esses dados e definir melhor quando e para quem o tratamento deve ser indicado.

Azeite de Oliva Fervido. Faz mal! Você sabia?

É comum lermos em várias publicações sobre a importância de utilizar óleo de oliva extra virgem em nossos pratos. Mas você sabe o motivo de tanta campanha? Já se perguntou o porquê?

Antes de qualquer coisa é importante saber que o azeite de oliva, quando utilizado para cozinhar os alimentos, perde muito de suas características (pois elas evaporam) e torna-se menos saudável. O estudo foi divulgado pela Universidade do Porto, em Portugal, por um grupo de pesquisadores e publicado pela Food Research International.

Ao analisar os diferentes métodos de cozimento do azeite de oliva extra virgem, os cientistas observaram que o produto perde muito de sua essência ao ser cozinhado junto com outros alimentos. Além disso, o azeite perde muito de suas características devido à presença de antioxidantes, tornando-o nocivo e prejudicial para a saúde, igualando-se a outros óleos vegetais.

E Qual a Melhor Forma de Utilizar o Azeite de Oliva?
É aconselhável usar o azeite de oliva extra-virgem crú para temperar os pratos – essa é a maneira de utilização que garante todos os benefícios para a nossa saúde oriundos do produto. Uma forma, não muito aconselhável, mas que não prejudica, é cozinhá-lo aos poucos evitando que ele aqueça demais, pois caso ele alcance temperaturas muito altas, pode causar a consequente perda de benefícios para a saúde.

Então, lembre-se: Para aproveitar os benefícios do azeite de oliva, utilize-o da forma natural, garantindo assim, acesso a todos os benefícios proporcionados por ele.