“Ele chegou bêbado para o treinamento: Adriano confessa o declínio de sua carreira | Upsocl

“Llegaba borracho a los entrenamientos”: Adriano se confiesa sobre el declive de su carrera

O artilheiro brasileiro sofreu com a morte de seu pai, em 2006, e a partir daí tudo correu em uma pirueta.

Adriano Leite Ribeiro estava em uma fase muito delicada maneira de acontecer para Ronaldo, o “Fenômeno”, e tornar-se outra lenda do futebol brasileiro. No entanto, quando sua carreira estava no auge, um evento dramático mudou sua vida para sempre, e o “Imperador” nunca mais vai ser o mesmo.

“Só eu sei o quanto eu sofri. A morte do meu pai, ele me deixou com uma enorme lacuna, acabei me sentindo muito sozinho e eu isolado. Foi o pior. Achei-me só, triste e deprimido, na Itália, e que é quando eu comecei a beber”,ela confessou, o agora ex-jogador, aposentado em 2016, em conversa com o jornal português A Bola.

imagem27-10-2018-16-10-58AP

Mas as coisas não estavam bem quando ele chegou. A partir de Parma com um par de metas para seu crédito, Adriano marcou 12 gols em sua primeira temporada com os interistas, e, em seguida, de 28 de apenas 41 jogos – o melhor ano da sua vida. “Ninguém poderia tirar a bola, era um animal. Eu joguei com grandes campeões, mas com ele eu senti que eu poderia jogar por muitos anos, como com Adrian, eu me senti confortável”, comentou em seu tempo, o muito Zlatan.

“Eu percebi que eu poderia ser o novo Ronaldo. Tinha tudo, físico, talento e velocidade. No entanto, Adriano tinha vindo de favelas e que eu estava com medo. Eu conhecia muito bem os problemas que podem gerar ter um monte de dinheiro em pessoas que viveram em situações de pobreza”, refletida por seu lado, Javier “Pupi” Zanetti, capitão. “Todos os dias após os treinos, eu queria saber o que ele ia fazer ou se eu estava indo para uma noite fora, eu estava preocupado que eu possa ter problemas”,ele diz.

Mas em 2006, logo depois que a temporada de sonho-em que venceu a Itália e a Copa das Confederações, o Brasil-, seria o pior. “Adriano tinha um pai que estava assistindo-lhes um monte e manteve-se na baía. No entanto, no início da temporada, algo inimaginável aconteceu. Recebeu uma ligação do Brasil e disse-lhe que seu pai havia morrido, é algo que pode mudar você para sempre. Vi-a chorar, ele jogou o telefone e começou a gritar que não era possível”

imagem27-10-2018-16-10-58Reuters

Seus companheiros de campus é proposto para ajudá-lo a sair de lá, mas não foi possível. “Durante esse tempo, ele continuou a tocar, a marcação e dedicándoselos seu pai olhando para o céu e rezar. À noite , Ivan Ramiro Córdoba e eu encontrava-se comigo e nós encorajou-os, dizendo-lhe que ele era uma mistura entre Ronaldo e Ibrahimovic, e o que poderia ser melhor do que ambos. Mas depois que a chamada se ela não voltar a ser o mesmo”, tem Zanetti.

“Eu só me senti feliz beber, toda a noite. Eu bebi tudo o que eu colocar na frente: vinho, whisky, vodka, cerveja. Um monte de cerveja. Ela não parar de beber e tive que deixar o Inter”, confessa o atacante, que chegou a levantar a Série 3, 3 super taças e 2 Copas da itália. “Eu não sabia como jogar com calma, veio bêbado nos treinos da manhã. Eu tive que você estava bêbado. Em seguida, tive que dormir na enfermaria e disse para a prima que ela sofria de dores musculares”, revela.

Em 2009, e depois de um empréstimo no Brasil, o Inter está cansado, e o vendeu para o Flamengo. Para chegar lá, Adriano entrou na razão. “Eu sabia que o mal rodeado foi. Amigos que só me levou festas com mulheres, álcool, e sem pensar em nada. Eu sai de um milhão de euros, mas eu comprei a felicidade”, diz o atacante, que re-emergiu em sua terra natal, marcando 24 gols em 48 jogos com o “Fla”.

imagem27-10-2018-16-10-58Reuters

Infelizmente, eles não duram muito tempo e o seu desempenho voltou a diminuir, apesar do fato de que o recém-nascido foi de 28 anos de idade. Ele emigrou para clubes como Corinthians e Atl. Paranaense, mesmo tendo uma chance na Europa, com o Roma -onde não marcar um único gol. Em 2016, encerrou sua carreira no Miami FC, da segunda divisão americana.

Um final que, obviamente, não faz honra ao talento de promessa.